Pesquisa
Saúde Populacional

O Projeto Baleia Jubarte pesquisa os impactos que podem afetar a recuperação da população de baleias jubarte da costa do Brasil. Por meio da análise de fotos, por exemplo, são examinadas as marcas e as lesões na pele dos indivíduos. Outra iniciativa que contribui para a pesquisa da saúde populacional é a coleta de amostras do ar expirado (borrifo) pelas baleias para a análise da flora microbiana. Com o uso de balestras, são coletadas amostras de pele e de gordura que são analisadas para avaliar a presença de contaminantes (pesticidas e metais pesados) no mamífero – um indicador também da condição dos mares.

Outra fonte de informação é o registro dos encalhes que ocorrem ao longo da costa brasileira. Em mais de 80% dos casos, as baleias encalham já mortas. São animais que morreram no mar e tiveram suas carcaças levadas até as praias pelos ventos e correntes. Nos raros casos em que as baleias encalham com vida, é feita uma avaliação da condição do animal e, sempre que possível, são realizadas operações de resgate para tentar devolvê-lo ao mar.

Embora a chance de sucesso no resgate de baleias seja pequena, por conta da fisiologia do animal, o Projeto Baleia Jubarte conta com equipes de resgate que atuam rotineiramente no litoral da Bahia e do Espírito Santo para o atendimento aos encalhes de baleias e golfinhos. Apesar de difícil, este é um trabalho importante e que mostra resultados como no caso de uma baleia que encalhou em novembro de 2000 em Ubatuba e que, após ter sido devolvida ao mar, foi reavistada oito anos depois em Abrolhos.

Nos casos em que a baleia não sobrevive ou chega morta à areia, são realizadas necropsias para buscar estabelecer a causa da morte. O estado de decomposição muitas vezes dificulta as análises, tornando, algumas vezes, impossível determinar a causa da morte.

Entre as causas conhecidas de mortalidade temos o atropelamento por embarcações, a captura acidental em redes de pesca, ocorrência de doenças, separação do filhote de sua mãe (durante o período de lactação o filhote depende unicamente do leite para sua alimentação, o ataque de predadores (orcas e tubarões) e a morte devido a idade avançada. Os animais que encalham vivos acabam morrendo, muitas vezes, devido ao aumento de sua temperatura e pela compressão de seus órgãos internos, o que compromete a circulação sanguínea.

A instalação de portos e as atividades de prospecção e exploração de petróleo e gás trazem impactos (ainda em estudo), na recuperação da população de baleias jubarte.

Para saber mais:

Neto et al. 2007;

Pesquisas em Andamento:

• Título: Análise de aspectos sanitários de Baleias-Jubarte na costa sudeste e nordeste do Brasil, com especial ênfase em interações antropogênicas.
Doutorado em Patologia Animal – Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Universidade de São Paulo (USP)
Pesquisador: Kátia R. Groch

• Título: Determinação dos níveis de contaminantes orgânicos e lipídeos totais em baleias jubarte (Megaptera novaeangliae) no litoral da Bahia.
Mestrado em Ciência Animal nos Trópicos – Escola de Medicina Veterinária - Universidade Federal da Bahia (UFBA)
Pesquisador: Elitieri Batista Santos Neto
 

Topo Topo
Realização
Patrocinador Oficial

Caravelas - Rua Barão do Rio Branco, 125 – Centro - BA - CEP: 45900-000
Tel.: (+55 73) 3297-1340 | ibj.caravelas@baleiajubarte.org.br

Praia do Forte - Avenida do Farol, 2907 - Caixa postal 92 - Mata de São João - BA - CEP: 48280-971
Tel.: (+55 71) 3676-1463 | ibj.praiadoforte@baleiajubarte.org.br

Educação Ambiental Programas de Capacitação e Inclusão Social Patrulha Ecológica Patrulha Costeira Rádio Lado Verde Rádio Patrulha Programas de Informação e Sensibilização Ambiental Visitas ao Centro de Visitantes Informação ambiental itinerante Áudio e Vídeo na comunidade Eventos Programa de Educação Ambiental Educação Ambiental na Escola Turismo de Observação Histórico Período Locais Operadoras Parceiras Normas de Avistagem
Viewnet tecnologia e Informação